Blog do Avallone

Willian faz o Corinthians disparar na liderança. E mais sobre Henrique no Palmeiras...

                                                                    Foto: JF Diório/AE

De novo, o Corinthians venceu. Outra vez, Willian fez o gol da vitória. Novamente, a Fiel lotou o Pacaembu e até gritou o nome de Tevez.   A novidade ficou por conta que, desta vez, foi um jogaço!  E o forte Inter de Porto Alegre, com sua atuação, confirma ainda mais que o Corinthians é um dos grandes favoritos ao título de campeão brasileiro- em minha opinião é o maior favorito- com a impressionante campanha de oito vitórias em nove jogos, sendo que esta, a de quinta-feira à noite, foi a sexta consecutiva.

Agora, o Corinthians disparou na liderança, seis pontos à frente do vice- líder, o Flamengo, o que pode parecer pouco diante de tantas rodadas que faltam, mas que é extremamente significativo pelo equilíbrio dos times. Não é tão fácil assim tirar a diferença.

Volto a Willian, o herói corintiano mais uma vez. Ele, artilheiro do Corinthians no Campeonato, agora com 5 gols, balançou as redes do Inter em belíssima jogada: a bola veio da esquerda (de Fábio Santos), Émerson “Sheik” (que entrara no lugar do contundido Liedson) fez o “corta luz”, tirando o corpo e deixando a bola chegar a Paulinho que a entregou mais para a direita. Para quem? Para Willian, veloz e atento, que com chute forte e cruzado, enfiou a bola no canto direito do goleiro do Inter.

Indefensável!

Além do gol, Willian infernizou a defesa do Inter com sua velocidade, com suas deslocações, até que, exausto, pediu para sair quase no fim do jogo. Para mim, ele, reforço pouco badalado em sua chegada, foi o melhor em campo. E é também a grande- e agradável surpresa- corintiana da temporada.

Outra surpresa, para quem dele duvidava, é o esquema adotado por técnico Tite: impôs ao time velocidade e marcação implacável, fez um Corinthians líder e duro de ser batido. E o resultado está aí, seis pontos à frente do segundo colocado. 

 

HENRIQUE NO PALMEIRAS: MAIS DETALHES

                                                                      Foto: Getty Images

Sim, sei que já falei sobre ele em meu post anterior, confirmando sua contratação pelo Palmeiras (o que venho dando como “praticamente certa” há três dias), pois o negócio foi oficialmente fechado nesta quinta-feira. Fiquei devendo a confirmação se ele virá por empréstimo ou em definitivo. E informo: será mesmo por empréstimo, de um ano, com o jogador prorrogando seu contrato com o Barcelona pelo mesmo período.

Repito o que disse em meu post anterior: trata-se de uma ótima aquisição, de um zagueiro técnico e veloz, que deverá compor com Thiago Heleno uma dupla de zaga de qualidade indiscutível. Aliás, Henrique está mesmo é de volta ao Palmeiras, onde foi campeão paulista em 2008, jogando o futebol de alto nível que o levou até à Seleção Brasileira.

Só aproveitando, falo de novo sobre outro reforço, o lateral-esquerdo Gerley, que está chegando do Caxias para o Palmeiras: tem 20 anos, 1 metro e 82, chuta forte e foi eleito o melhor lateral-esquerdo do campeonato gaúcho deste ano. O outro lateral-esquerdo pretendido, Samúdio (do Libertad do Paraguai), perdeu a disputa também pelo alto preço pedido pelos paraguaios; 3 milhões de dólares.

 Quanto ao argentino Facundo, 20 anos, que estaria por detalhes para acertar com o Palmeiras, confesso que não o conheço. E que nunca dele ouvi falar.

Confirmado: Henrique já é do Palmeiras.

                                            Foto: Divulgação

Como antecipei em meu penúltimo post, há dois dias, quando classifiquei de “praticamente fechada” a contratação de Henrique pelo Palmeiras, eis que agora já fato consumado.

É o que acaba de me informar uma fonte fiel que não pode me dar mais detalhes (que me dará mais tarde), mais por culpa de meu celular que, com o barulho da charmosa Avenida Paulista, teimava em tornar quase impossível a nossa conversa.

Deu para ouvir, ainda, que Gerley, menino de 20 anos, eleito o melhor lateral-esquerdo do Campeonato Gaúcho, também  já está acertado. Quanto a Kleber, o caso está sendo levado com calma (apesar da ausência do atacante no treinamento da manhã desta quinta-feira).

Voltando à contratação de Henrique, o quarto-zagueiro sonhado por Felipão, creio tratar-se de uma ótima aquisição: é um jogador técnico e veloz, além de ser eficiente no jogo aéreo, que deverá formar bela dupla de zaga com Thiago Heleno. Em princípio, como me disseram na noite de terça-feira, virá por empréstimo de um ano.

O que não impede- dependendo de algumas situações que podem ocorrer agora ou no começo do ano que vem- de Henrique, grande jogador e dono de muita seriedade, ser contratado em definitivo.

Detalhes, mais tarde.

A volta de Tevez, o técnico do São Paulo, a novela Kleber...

Recebo informação, de boa fonte, que Carlitos Tevez está muito próximo de voltar ao Corinthians. Por 25 milhões de dólares (quase 40 milhões de reais), a serem pagos pelo patrocinador do clube. Mas leio que, segundo o jornal inglês Daily Mail, o preço que o Manchester City teria acordado com o Corinthians é de causar surpresa para os padrões brasileiros: 42 milhões de euros, cerca de 93 milhões de reais!

Aí, nessas cifras, já fica mais difícil acreditar.

Em todo o caso, ao que consta, todos os caminhos levam o Corinthians a Tevez. Que é o que mais interessa ao torcedor corintiano, que já teve em Carlitos um de seus ídolos.

 E O NOVO TÉCNICO DO SÃO PAULO É...

A mesma fonte que me falou de Tevez, pessoa extremamente interessada nos bastidores do futebol, me assegura que, no momento, as chances maiores são de Milton Cruz. Como? Ora, Milton Cruz já está lá, como técnico- interino. Só que, em razão do mercado não oferecer uma grande opção para agora, diante da bela vitória diante do Cruzeiro o raciocínio é simples; Milton soube se aproximar dos medalhões- Rogério Ceni, por exemplo- e desfruta de bom ambiente entre os garotos que ajudou a descobrir. Como se sabe, ele é “olheiro” dos melhores.

Assim, com solução caseira, o São Paulo talvez trilhe caminhos mais seguros.

Bem, isso até ir vencendo. Pois se as derrotas surgirem, o raciocínio muda rapidinho, rapidinho.

KLEBER: NOVELA CHATA.

Já está cansando, tantas as versões e desencontros, essa novela ou o caso Kleber. Como o amigo deve ter acompanhado quase toda a maratona de entrevistas do jogador- ficou para trás a bela vitória do Palmeiras  sobre o Santos por 3 a 0- e as amenas respostas do vice- presidente de futebol, Roberto Frizzo, pareceu-me estar diante de não de um jogo de xadrez, mas de um embate com um na ofensiva, o outro estudando contra-ataque.

Solução? Nenhuma. O que me espanta, aliás, é que não me lembro ter visto algo parecido na minha já longa carreira, de alguém agir por conta própria, não indo à concentração (e nem disse jogar ou simular), chamar o superior hierárquico de, digamos ,omisso e medroso e coisa e tal, e não acontecer nada, absolutamente nada. Estará o ofendido esperando a vez, por estratégia ou perdeu o comando e anda sem argumentos de defesa?

Por muito menos já vi funcionário ser multado (jogador também não é funcionário, com direitos e deveres?), advertido, colocado no lugar. E sem essa de fazer a sua vontade, se é que é essa mesma, de conseguir, a qualquer custo, o que pretende- ou o que não está no contrato ou, então, como talvez preferissem alguns interessados- ser transferido a qualquer preço para outra empresa (no caso, um clube).

Simplificando: segundo uma fonte, Kleber é visto hoje no Palmeiras como um mal necessário. Pelo menos até o fim do ano. Mas para sair agora, teria preço, sim: entre 10 e 12 milhões de euros.

Preço bem inferior ao valor da multa. Mais coerente, no entanto, aos valores do mercado.

De minha parte, de preferência, só voltarei a tocar nesse assunto diante de fato novo ou conclusivo. É uma novela que está começando a ficar muito chata.

Revelações de Felipão. E a grande vitória do Palmeiras, sem Kleber.

Avallone e Felipão no programa NO PIQUE   Foto: Bruno Bernardi

Conversei mais de uma hora com Felipão no programa “No Pique”, que apresento nas noites de domingo pela CNT. E o encontrei muito à vontade, com o humor em alta, depois da vitória do Palmeiras sobre o Santos por 3 a 0. Eu estava ao lado dos companheiros José Gonçalves, Bruno Bernardi, Paulinho Arapuã e Rogério Lugó, sendo que Felipão não fugiu de nenhuma pergunta e ainda fez algumas revelações, desde prováveis contratações ao caso Kleber.

Eis algumas dessas revelações;

 “Do Kleber, posso falar que o considero ainda o melhor centroavante do Brasil. E não sei se a culpa no caso foi dele ou de quem o acompanha. Confio nos nossos médicos, a questão está com a diretoria e no momento em que estiver liberado para treinar, vai treinar”.

“Nosso presidente (Arnaldo Tirone) está na Argentina, onde se encontram presidentes de muitos clubes. Ele pode trazer de lá boas notícias para o Palmeiras”.

“O meu pensamento, daqui para a frente, é que possamos contar com mais quatro jogadores, contratando dois de peso e duas apostas”.

O Lincoln não foi relacionado para o jogo contra o Santos, pois veio nos pedir para ficar de fora do jogo, pois já tinha feito seis partidas e se jogasse mais uma não poderia ser transferido para outra equipe da Série A neste Campeonato. E nós concordamos”.

“Esse jogo contra o Santos foi curioso: ganhamos bem, mas, além dos gols, aconteceram poucas outras grandes chances para as duas equipes. Sinal de que o aproveitamento do Palmeiras foi excelente”.

“Vi o jogo do Valdívia contra o Uruguai. Ele foi bem, sim”.

(Ao responder uma pergunta minha se ele vira Valdívia em ação naquela meia hora contra o Uruguai).

Além disso, este jornalista, blogueiro e Felipão relembramos histórias passadas, o Palmeiras da era Parmalat, a Seleção pentacampeã do mundo, o comportamento de jogadores de outras épocas, etc.

Foi um papo gostoso. Passou tão rápido...

 

O SANTOS VIROU FREGUÊS DO PALMEIRAS

                                                          Foto: Ivan Pacheco

Já há algum tempo o Santos não vence o Palmeiras. E desta vez, exagerou na dose: o Palmeiras ganhou por 3 a 0, digamos uma quase goleada, que não poderia ser maior e nem menor, pois que, como disse Felipão, as poucas chances de gol que surgiram foram aproveitadas.

Ah, o Santos jogou sem Neymar, Ganso, Elano... Tudo bem.  Mas, proporcionalmente, o Palmeiras também esteve desfalcado de Kleber, Valdívia, Thiago Heleno. O fato é que, talvez motivados pelo caso Kleber e incentivados pelos líderes dos grupos, os jogadores do Palmeiras como se disputassem uma final de Campeonato, fazendo da superação uma arma mortal para o Santos.

Dono de um primeiro tempo excelente, o Palmeiras já liquidou ali o jogo. No primeiro gol, Luan deu um passe precioso para Maikon Leite driblar o goleiro e marcar; no segundo gol, aproveitando cobrança de escanteio da esquerda de Marcos Assunção, Maurício Ramos desviou de cabeça, para marcar; no terceiro gol, um belo chute de Patrik.

E acabou.

O Palmeiras provou que há vida além de Kleber. Mas que saiba que não se enfrenta um Campeonato apenas na base da superação.

(OBERVAÇÃO: LER SOBRE A VITÓRIA DO LÍDER CORINTHIANS NO POST ABAIXO) 

 

ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS DA ENTREVISTA COM FELIPÃO

Felipão: "Eu adoro o Kleber, ele é meu capitão"

Felipão desabafa: 'Os jogadores são manipulados'

Felipão revela: 'Tirone poderá trazer uma excelente notícia da Argentina'

Felipão fala sobre o Caso Kléber

Felipão sugere abaixo-assinado 'Palmeiras: compre o Luan'